02 março, 2006

Albert Falzon


"We are the measure
of all things.
And the beauty
of our creation,
of our art
is proportional
to the beauty
of ourselves,
of our souls"
Jonas Mekas
(quem é Jonas Mekas? acho que é esse aqui. clica!)



Engraçados os caminhos que nos levam a internet. Apesar de toda baboseira, exposição desnecessária, orkuts, papos íntimos que rolam através das teclas, mas que não se concretizam na vida real (há controvérsias), existem lados positivos.

Hoje, conheço mais profundamente o surfe, pela net; mais em relação a muito do que aprendi durante a época em que era um viciado em revistas. Sinto não perder nada, em conteúdo, pelo fato de não gastar mais um tostão com revistas.

Mal ou bem, as revistas estão na grande rede. E além das revistas existe uma infinidade de sites, que só existem nessas teias, e que trazem muita informação de qualidade.

Julio Adler, que tem uma disposição descomunal para surfar virtualmente, já virou uma espécie de guru (dizem que ele ainda bate na cara das ondas ali na Zona Sul carioca, e eu acredito). E é ele um dos responsáveis pelo meu engrandecimento no conhecimento do surfe, pelo aprofundamento de determinadas questões ou simplesmente pela oportunidade de ver um fato corriqueiro do mundo do surfe ser criticado até que venham à tona suas entrelinhas, seus verdadeiros significados. Ainda que, graças a Netuno, existam as saudáveis controvérsias.

Escrevo isso tudo só para chegar ao ponto de comentar que a primeira vez que ouvi (na verdade, li) falar do filme (FILME, e não vídeo!) “Morning of The Earth” foi no Goiabada; e aproveito para dividir com vocês, meus dois visitantes, que não devem estar lendo até aqui, a minha satisfação de ter feito contato direto com o autor da película em questão, Mr. Albert Falzon, que por generosidade e/ou interesse me enviou a recente edição em DVD da obra, com encarte autografado e tudo. Delírio!

Versão atual da película em DVD.

Tudo bem, isso já aconteceu há algum tempo. Mas, recentemente, recebi a resposta do já camarada (brasileiro é folgado pacas) Albe Falzon ,de um e-mail onde eu pedia uma entrevista, uma espécie de “quem és tu my friend?” “por onde adastes?” “para onde pretendes ir?” “o que tinhas na mente quando fez esse filme desbundante, essa obra cinematográfica dedicada ao alto astral de pegar ondas, antes da era das marcas, das logos...?”. E, não, ainda não tenho todas as respostas (quem as tem?!), mas, já recebemos com exclusividade algumas fotos e um relato dele sobre o início de tudo. Vamos nessa...

5 comentários:

Anônimo disse...

Cara, que bom que reecontrei seus textos pela net.Sabe pelo itacoatiara.com eu tive o prazer de ler uma entrevista que vc fez com um colega de infãncia o Bruno Lemos que mora no HAWAII atualmente e que falei de relance no HAWAII na minha ultima ida as ilhas em 2001.
Continue a escrever bro,vc tem um talento enorme,e para quem está carente das ondas niteroienses que quebram infelizmente com uma frequênica e qualidades péssimas atualmente,é um colírio pra mente ler o que vc escreve!

Abraços,

Rocha Lima

Claudio da Matta disse...

Rocha, muito obrigado pelo seu comentário e pelas palavras de incentivo!! Vamos ficar na torcida pra que as condições de surfe em Niterói melhorem nessa temporada.

Abração,

Claudio

s4int disse...

Grande nivel.... Como sempre ;)
E aqui fica as minhas desculpas... Com todo o respeito como eu tenho por vc e por todos os seres vivos :) Se precisar de fotos dos picos de surf do porto estarei sempre as ordens pra o poder ajudar.
Fica bem e um abraço

Bruno Ryfer disse...

Que isso...
Baixei, há muito tempo atrás, uma versão meio xumbrega do filme...
Como eu faço pra copiar teu DVD?
Uso uma daquelas pranchas que aparecem no filme - e que meu pai insistiu em guardar por tantos anos, sabe-se lá porque - toda vez que o mar fica lisinho...

Claudio da Matta disse...

Caro Bruno, valeu pelo comentário. Cara, não posso te oferecer uma cópia pirata do DVD do Morning Of The Earth (MOTE). O amigo Albe Falzon não iria gostar nada disso. Não acha? Mas, chega nesse link (http://www.morningoftheearth.net/Store/DVDRoute.htm) e confira as condições para adquirir uma cópia original. Não bastasse o próprio filme, o encarte que acompanha o disco é, no mínimo, alucinante. Quem sabe com a procura, Mr. Falzon não abre uma lojinha por aqui...
Grande abraço! Qualquer hora quero dar uma surfada nessa prancha do seu pai!
Claudio.