15 janeiro, 2008

Verão - Feliz 2008 - Fotos e lembranças


Visual do Rio visto da Ilha Mãe, em Itaipú.

Tema clássico do verão, agora (por minha conta) não mais na região Sudeste, mas exatamente em Niterói... A ausência de surfe, ponto.

Nos faz lembrar da Itapuca, em todos os suéis da vida; nos faz lembrar das últimas boas sessões de surfe, seja onde for... No meu caso faz mais tempo do que seria saudável.

Me faz lembrar da falta de infra para poder chegar a algum lugar com ondas, na época de moleque, na Pendotiba que, hoje, estou por motivos de saúde, da falta dela, em uma das pessoas fundamentais da família, o pai querido. Digo, Pai Querido!

Martins de Sá


Martins de Sá. Sem palavras.

Por que eu não largo tudo agora e parto pra Saquarema? Sacudir a poeira, me esforçar para pegar ondas, investir na recompensa que aguarda aqueles que se esforçam, que dão o sangue por alguma coisa que lhes faça bem, ou mau (recompensa às avessas também rola... é a tal lei física que diz que toda ação gera uma reação – eu acredito nela).

Tudo bem que se quem mora em Niterói fosse devidamente recompensado por todo o esforço feito para se pegar ondas, estaríamos com o surfe garantido até a morte esperada, aquela na velhice, dormindo, sonhando com uma bela manhã de amor, seguida de uma surfada divertida, indo pro céu, como o surfe várias vezes já nos proporcionou (inclusive em Niterói).

To dando uma zoadinha na minha própria área (eu posso, né?!), mas a real é que eu AMO as ondas e o ambiente praiano (porque o urbano tá indo de mal a pior – já disse e repito, vão acabar com a cidade, vão construir prédios e complexos habitacionais de luxo em tudo que é buraco possível, tudo devidamente permitido pela corja do poder público em ação na cidade – diga-se de passagem o PT e suas alianças sujas) de Itacoatiara (isso não é novidade para quem já perdeu algum tempo lendo o que escrevo ou, escrevia). Como eu ia dizendo eu adoro Itacoá, suas ondas, meus amigos de praia, os velhos e os novos, a curtição na areia etc. etc. e etc. E, a real é que eu não mais suporto a idéia de ir surfar do outro lado da poça (tadinha da baía da Guanabara). É muito trânsito, é muita gasolina, é muito “profissional” e “black trunk” em qualquer marola de merda. E Saquarema fica um pouco longe pra se chegar antes do vento; e haja jogo de cintura para agüentar a rabugência local. Nada contra; muito respeito e humildade; assim que possível estarei por lá, o local mais próximo daqui com o ar, o cheiro e o clima da Região dos Lagos, com algumas das melhores ondas do Brasil. Se a água estiver quente fica ainda melhor. Itaúna dando onda é um dos exemplos das maravilhas da vida, ponto.

To escrevendo esse texto, praticamente me forçando a fazer isso, ao dar uma olhada nos meus arquivos de fotos no computador da casa dos coroas. Fico olhando o scanner, o scanner fica me olhando, fico pensando em tudo que já produzi de imagens, pensando se ele pode digitalizar negativos, pensando em como eu posso dar seqüência ao Surfe Pensado e outros projetos usando o que já foi feito e vivido, misturado e temperado com o que está acontecendo e com o por vir.

Mas eu sinto que preciso ir pra Saquarema.




Leonardo "Juruna" "Mulato" Maciel.

De quebra, nessa olhada nas fotos digitais e digitalizadas, me deparo com uma que “roubei” do orkut do Rodriguinho, irmão do saudoso Léo Maciel, o querido Juruna, que já não habita o nosso ambiente terreno em corpo físico. Boas lembranças dele nas ondas de Itacoatiara, nas risadas na areia, do surfe no Shock e até dos embalos noturnos, algo que acabou ajudando o “mulato” a dar o drop que tirou sua vida. E haja disposição... Boas lembranças da galera colocando um então moleque, o Juruna, pra carregar uma caixa de papelão cheia de mariscos pela trilha do Bananal, junto com Betôncio, Tim e o Rato. Quando isso?! Nos (já posso falar assim...) idos de 1987, 88, no máximo 89... A foto em questão, que gentilmente “roubei” do Rodriguinho (Fala mulato!) parece ter sido feita em Itacoatiara, no Pampo, onde até hoje se pode sentir a presença dele, principalmente quando sobra uma onda daquelas pra você. Com ele, muitas vezes não sobrava... Mas também pode ser Sunset ou algum pico havaiano, onde esse tal “mulato” também fez surfe e amigos. Grande figura! Fique em paz, Juruna, espero do fundo do coração que aí também tenha surfe, pois estamos todos na fila! Pra gente que ta na área, vamos cuidar da saúde (física e mental/emocional), pensar muito, ter muita paciência e fazer muito esforço pro surfe não fazer parte do passado enquanto ainda estamos física e materialmente na área.

Feliz 2008 pra você que chegou até aqui na leitura, e pra todo mundo que você ama também!

Claudio da Matta


Auto-foto. Fim.




Martins...

Mais uma da Itapuca. Essa é do orkut do Caxias.

5 comentários:

Tiago disse...

Muito legal o post Claudio. Agora, se você estivesse em Curitiba, esperando o final de semana para surfar, e quando chegasse na praia visse as ondas (marolas) que eu vejo na maioria das vezes, ia dar graças a Deus pelo pico que tem aí pertinho. :D Abraço!

Claudio da Matta disse...

Grande presença, Tiago! Pode ter certeza que dou graças a Deus pelo pico daqui e por tudo mais que ele agrega. Me sinto um privilegiado, mesmo. Já estive na sua área, em Matinhos (ainda não fui na Ilha do Mel, pena pela ausência das paralelas nas lembranças...), e imagino até hoje um dia de ondas consistentes naquele canto bonito, aquelas direitas... Grande abraço, Claudio da Matta!

ALEXEI disse...

Claudinho, meu amigo. Muito boas as fotos e melhores ainda as recordações. Temos um dia-a-dia tão atribulado que nos esquecemos de relembrar estes belos fatos. A verdade é que fomos, e ainda somos privilegiados pela oportunidade de viver nossa infância em um lugar tão especial e cercados por tantos amigos bons. Parabéns pelo blog!

Claudio da Matta disse...

Olha o Alex aí! Esse é o Rato, da história com Betôncio, Juruna e Tim... Valeu, grande abraço!!

Marcio disse...

Vendo as fotos de Martins, me veio a lembrança e muito mais a reverência que tenho que fazer ao Claudinho, se não fosse por ele, não teria tirado o tubo nota 10 no campeonato de amigos que fizemos por la no inicio da década. abraços à todos.